“Basta dizer que é um expert”…

Autoentitular-se “expert” passou a ser a grande “sacada” dos que buscam o ilusório caminho do “fácil e rápido”.

São Experts só porque dizem ser.

Autodenominar-se “Expert” ou “Autoridade” em determinado assunto não é capacidade observada (guarde esse conceito), é apenas uma opinião.

E muito cuidado para não comprar uma “opinião” vestida como se fosse um “fato”.

Então, o que fazer?

Se você quer ser um Expert, se você deseja ser visto como uma Autoridade, então você precisa, antes, ser um especialista.

É preciso ser capaz de produzir RESULTADOS de forma consistente.

E não! Não é porque você viu alguns treinamentos e sabe alguns “truques” e conceitos que são desconhecidos da sua rodinha de amigos que você é um especialista.

Não basta saber mais que um grupo específico de pessoas.

É preciso comprometer-se de verdade até que você domine a arte da sua especialidade.

Tornar-se um especialista pressupõe que você estudou, leu, aprendeu e experimentou tomando ação.

Uma Autoridade verdadeira cometeu inúmeros erros (ganhou experiência) e obteve tantos outros tantos acertos (ganhando mais experiência ainda) até que seu cérebro simplesmente “entende” como a coisa toda funciona.

Ser um Expert é ser um especialista que foi capaz de transformar seu grande “potencial” em “capacidade observada” pelos RESULTADOS que conquistou pra si e/ou para seus clientes.

Um oftalmologista recém-formado é um especialista em olhos. Mas ainda vai levar algum tempo pra ele ser visto como uma Autoridade no assunto. Talvez ele nunca consiga chegar a esse ponto.

Ser um Expert significa que você tem algumas rugas na sua alma pois já amadureceu o suficiente para não vir com as mesmas soluções prontas dos “experts autoentitulados”.

Dedique-se à sua obra.

Desenvolva-se todo dia.

Vá com profundidade na sua especialidade escolhida. Estude. Obtenha resultados no mundo real e não nas folhas do seu caderno.

E suas chances de se tornar um Expert aumentarão significativamente.

É isso aí.

 

E aí? O que escrevi acima fez sentido pra você?

Comente abaixo como esse artigo te ajudou e compartilhe com os amigos que você gostaria que também visse isso.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorprevisões tolas…
Próximo artigoQuer vender mais? Seja diferente.
Tinha 13 anos de idade e já trabalhava dando aulas de violão clássico. Nos + de 20 anos seguintes, Rodrigo se graduou em Engenharia pela UNICAMP, fez 2 MBAs em algumas das melhores escolas de negócios do mundo e foi Executivo de Gde Empresas. Aos 29 anos decidiu largar sua carreira porque percebeu que não estava seguindo sua verdadeira missão. Hoje, Rodrigo se dedica a ajudar seus clientes e seguidores a descobrirem quem realmente são, a trabalharem com sua missão de vida, a fazerem o que gostam e a quebrarem as regras que impedem que conquistem sucesso, felicidade, qualidade de vida e, claro, liberdade financeira.

6 COMENTÁRIOS

  1. Show de bola o texto! A boa notícia é que fica muito fácil identificar “falsos gurrus”, basta atentar-se aos seus resultados. Forte abraço!

    • Valeu pelo comentário Matteus.
      Mas cuidado porque não é só resultados.
      Tem muitos “gurus” verdadeiros que geram resultados para os outros mais do que pra si mesmos. E isso acontece porque eles se dedicam a ajudar os outros com suas questões.
      Tá cheio de empreendedor milionário que tenta se posicionar como guru mas que não tem a mínima noção de como ajudar outras pessoas a terem resultados. Muitos são apegados a um modelo que deu certo pra eles e tentam replicar esse mesmo modelo pra outros. Nem sempre isso é algo bom.
      Forte abraço.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here